Espelho, Espelho Meu

10 jun

Olha no espelho, conta até dez e diz:

– Eu te amo.

Respira fundo, conta até dez e diz:

– Eu te amo.

Com mais confiança, voz mais alta, diz:

– Eu te amo.

Ela se dizia pronta para pronunciar estas três palavras – e certos acréscimos ainda não definidos no discurso – após tantos dias de treino intensivo. Também, mesmo se não estivesse, teria de tentar; já passara da hora de tentar. O garoto que procurava estava conversando com umas duas pessoas, sentado nas escadas que davam acesso ao segundo andar do colégio. Em minutos ele saberia a verdade, só mais alguns minutos…

Andou a passos firmes até ele, os olhos fitando apenas seu rosto. O olhar determinado disfarçava seu nervosismo e ela secava na calça as mãos que suavam. Não era uma decisão fácil, tampouco rápida de se tomar, mas aquilo era o certo a se fazer.

– Oi – ela disse.

– Olá – respondeu ele com um sorriso bonito o suficiente para fazer o coração dela acelerar.

– Você pode… Você pode vir comigo um instante? Preciso falar com você.

Ele assentiu e despediu-se dos amigos. Ela pegou na mão dele, hesitante, rezando para que ele não notasse o quanto tremia. Quando entraram numa sala vazia, ela se virou para encará-lo sem soltar sua mão no processo.

– O que estou para dizer não é algo que você simplesmente diz. Não deveria ser fácil, afinal. Há muitas coisas acontecendo na minha vida agora, mas por alguma boba razão eu não consigo parar de pensar em você. Eu penso muito em você.

“Eu não espero que você confesse seu eterno amor por mim ou algo do tipo. Quer dizer, antes de vir aqui eu já me preparei para o pior.”

Houve uma pausa. Ele estava imóvel, olhando para algo atrás dela. Ela respirou fundo e terminou seu pensamento:

– Aqui vai: eu te amo.

Ele estava esperando por isso – ele deveria estar esperando por isso -, mas de qualquer forma ele abriu e fechou sua boca algumas vezes, tentando dizer palavras que ele sabia que não sentia.

– Não faça isso – ela disse. – Eu acho que – eu sei que você não me ama; basicamente, você nem sequer gosta de mim! Portanto apenas… apenas não faça isso.

Ela andou até a porta, olhou para ele uma última vez e saiu correndo.

Olha no espelho (ignora seus olhos vermelhos, a maquiagem borrada e o cabelo bagunçado), conta até mil e diz:

– Eu… eu ainda te amo.

Anúncios

9 Respostas to “Espelho, Espelho Meu”

  1. Pedro Maia 10/06/2011 às 21:17 #

    Liindo, muito lindo.
    E eu amei o final, já te disse isso.
    Invejem-me, trouxas, eu fui o primeiro a ler.

  2. Letícia Andrade (Lily) 10/06/2011 às 21:26 #

    Três coisas essenciais

    1) O mais legal dos seus contos é pensar o quanto eles são verdadeiros e demonstram os sentimentos de MUITA gente. Tipo, não é uma adolescente forçada, como a gente vê por aí, nem a ideal, nem o que as pessoas pensam que são os adolescentes. São eles mesmo. É muito natural.

    2) O jeito que você aborda os contos sempre me faz ficar com uma coisinha lá no fundo, e eu me sinto TÃO afeiçoada aos personagens que é como se eu fosse um deles.

    3) Esse final matou a pau. De todas as formas. Porque, mesmo sendo triste, ele me deixa com esperanças.

    Enfim, um lindo conto, Mari. Meus parabéns, de verdade, você tem MUITO futuro.

    Beijos ^^

    • Gabriel Amaral 10/06/2011 às 23:42 #

      Oi Marina!
      Nossa, excelente seu texto.

      Como a Letícia disse, retrata os adolescentes de maneira realista. Gosto muito também da sua escolha de palavras e do jeito como você narra, que não cansa o leitor e dá valor aos detalhes.

      Seu final está ótimo, também.
      Acho que isso é tudo. Parabéns e continue sempre escrevendo, pois é uma coisa que você faz extremamente bem…

  3. eatmyheart 14/06/2011 às 22:00 #

    Você escreve muito bem e, sei lá, ler um texto seu desperta um sentimento estranho/diferente
    Af, para de escrever bem!

  4. fehlourenco 17/06/2011 às 19:21 #

    Mari, amei seu conto. Lindo! O final é perfeito!
    bjos

  5. André Wynne 20/06/2011 às 0:14 #

    Muito real e sentimental.

  6. Daniel 04/07/2011 às 22:23 #

    É pequeno. Não adianta, é pequeno.
    Real, bem conduzido e tudo o mais. Mas.

  7. Patrícia Moreira 04/07/2012 às 0:20 #

    Poxa, muito legal, Marinete. Parabéns *-*

  8. George Luis 12/07/2013 às 3:33 #

    Adorei! Belíssimo texto! Bravo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: